3 de janeiro de 2017

Conheça a árvore mais antiga do mundo com 9.500 anos




Apelidada de "Velha Tjikko" em homenagem à husky de estimação de Kullman, o pesquisador que a encontrou, a árvore mais antiga do mundo, descoberta em 2004, continua viva e crescendo normalmente. Sua idade, estimada em 9.500 anos, foi descoberta por meio de testes com carbono-14. Desde então, Tjikko vem sendo acompanhada regularmente por pesquisadores da região.

De acordo com Kullman, o tronco da árvore, uma pícea-norueguesa, revela que sua estatura baixinha ("praticamente um bonsai") foi determinante para sua longevidade: "árvores grandes não vivem tudo isso", constatou o estudioso de Tjikko.


CURIOSIDADE:

O final do ano fez o Old Tjikko regressar às notícias. Este pinheiro norueguês é a árvore mais antiga do mundo, com 9500 anos. O mais espantoso é que também tem ‘só’ 375 anos. Perceba porque há uma diferença de 8900 anos nas duas idades da mesma árvore.

O Old Tjikko foi descoberto em 2004 pelo cão (um husky siberiano) de Leif Kullman, professor de geografia na Universidade de Umeå, na Noruega.

A datação pelo método do carbono-14 revelou a primeira surpresa: o pinheiro, que existe na Lapónia e que terá dado origem à imagem do pinheiro de Natal, tem cerca de 9500 anos de idade.

A árvore é contemporânea da era glaciar, quando o atual Mar do Norte era uma vasta floresta que unia a Noruega à… Inglaterra.



“Durante a idade do gelo, o nível do mar era 120 metros inferior ao atual e muito do que é agora o Mar do Norte era uma enorme floresta. As baixas temperaturas ajudaram a árvore a não se desenvolver muito, pois não é por acaso que as maiores árvores nunca atingem esta idade”, salientou Leif Kullman.

Mas o Old Tjikko, de 4,5 metros de altura, escondia mais surpresas.

A espécie ‘Picea abis’ é como uma fénix vegetal: os ramos que caiem ligam-se às raízes, permitindo que a árvore renasça.

As datações por carbono-14 revelaram que o Old Tjikko tem várias idades. As raízes têm 9500 e vai ficando mais jovem à medida que sobe tem 9000, 5660 e 375 anos.

Em média, os pinheiros ‘novos’ desta espécie vivem entre 300 a 400 anos.


Compartilhe com seus amigos: